Artigo – Placas cimentícias: um novo jeito de construir

Clientes, Infibra, Novidades 6 de abril de 2011

Por Engª Thaís Helena Martinetti

As placas cimentícias, chapas lisas fabricadas em fibrocimento, surgiram no mercado nacional na década de 70. Sua comercialização se intensificou após a década de 90, com o desenvolvimento do mercado de construção seca e industrializada. Apesar de o brasileiro ainda não estar acostumado a esse tipo de construção, essa, sem dúvida, é uma forte tendência para o futuro.

O uso dessas placas está associado ao sistema steel framing, que é uma estrutura composta por perfis formados a frio de aço galvanizado, que constituem painéis estruturais – verdadeiros esqueletos para edificação. Tendo essa moldagem, as placas cimentícias são utilizadas como fechamento dessas estruturas, formando as paredes da edificação.

Elas são constituídas da mistura de cimento Portland, agregados naturais, com reforço de fibras sintéticas. Essa combinação de ingredientes a faz ser adequada tanto para áreas secas quanto molhadas. O produto é bastante utilizado para revestimentos externos, como fachadas, e também em áreas internas, como cozinhas e banheiros.

Sua fixação à estrutura se dá por meio de parafusos. Para melhorar o isolamento térmico e acústico das paredes, sugere-se fazer um isolamento com material adequado, como por exemplo, lã de vidro, EPS, lã de rocha, etc. Nestes casos é necessário formar uma espécie de sanduíche, colocando placa cimentícia + isolamento + placa cimentícia.

As vantagens da utilização das placas é que elas são resistentes a impactos, à umidade, são incombustíveis (não pegam fogo) e de alta durabilidade. Elas também são compatíveis com diversos acabamentos ou revestimentos, como pintura acrílica, texturas, cerâmicas ou pastilhas, garantindo rapidez na execução e adequação a qualquer tipo de projeto.

Atualmente, as placas cimentícias são comercializadas em diferentes tamanhos. A largura é fixa (1,20m) e o comprimento pode variar de 2,00 a 3,00 metros. A espessuras usuais são de 4,0 a 6,0mm para forros, 8,0mm para paredes internas e de 10,0 a 12,0mm para paredes externas ou fachadas.

Podem-se utilizar placas cimentícias em qualquer tipo de construção, seja em residências, fachadas de edifícios, proteção de heliportos, edificações hospitalares, fechamentos de galpões industriais, paredes de escolas, mezaninos, platibandas, entre outras.

Atenta a essa demanda, a Infibra, empresa que atua há 40 anos no segmento de fibrocimento e polietileno, lançou recentemente uma linha de placas cimentícias. O produto, que está disponível em espessuras de 6, 8 e 10 mm, é resistente a fogo, impactos e até cupins.

É importante ressaltar que as placas devem atender aos requisitos da NBR 15575-4, que regulamenta edifícios habitacionais de até cinco pavimentos. Esta norma estabelece os parâmetros mínimos de desempenho das paredes externas e internas de edificações.

Apesar da aplicação recente dessa tecnologia, a expectativa é um aumento rápido desse tipo de construção em virtude da demanda habitacional do país e da velocidade de construção que esse produto confere. É um sistema limpo, uma vez que reduz os desperdícios de materiais e otimiza o uso a mão-de-obra. Esses atributos podem tornar a obra até 40% mais barata. É uma opção para construir com qualidade, baixa geração de entulho e principalmente, com preocupação ambiental.

Thaís Helena Martinetti é mestre e engenheira civil formada pela Universidade Federal de São Carlos. Atualmente é engenheira de desenvolvimento de produtos da INFIBRA LTDA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>