Artigo – Como evitar conflitos em grandes empreendimentos

Clientes, Novidades 27 de abril de 2011

Por Lauro Jacintho Paes

O Brasil está vivendo uma das fases mais prósperas de sua história econômica. Mas, é inegável que para continuar crescendo, será necessário investir em grandes obras de infra estrutura e empreendimentos diversos. Para que os planos saiam do papel é importante avaliar não apenas os custos destas construções, mas também seus impactos ambientais e sociais.

Esta semana o projeto Porto do Açu, localizado em São João da Barra, estado do Rio de Janeiro, voltou a ser notícia nos principais jornais do país. A obra foi paralisada pela segunda vez em menos de 30 dias. Primeiro houve greve dos trabalhadores do consórcio e agora há uma manifestação por parte dos produtores rurais que estão sendo desapropriados.

Curiosamente, e não casualmente, esses manifestantes alegam que não foram avisados com antecedência e sentiram-se ofendidos em seus direitos como cidadão. Questionam ainda a falta de clareza no processo de desapropriações.

Mais uma vez parece que a gerência e a coordenação de um grande empreendimento falharam na comunicação com a comunidade impactada pela obra. Foi assim também na Usina de Belo Monte, Usina de Jirau, Aeroporto de Ribeirão Preto, Aterro Sanitário de Limeira, dentre tantos outros.

A situação fluminense deixa claro que é necessário um processo de comunicação com as lideranças locais formais e informais. É preciso estabelecer um canal direto e claro de comunicação entre a sociedade local e o empreendedor. É importantíssimo ainda mapear as lideranças e forças políticas, das mídias comunitárias, suas demandas sociais, econômicas e ambientais, bem como seus conhecimentos adquiridos.

O fato no Porto do Açu mostra o quanto é importante o desenvolvimento sustentável – mas na prática e não somente nos discursos. Para que esta situação não ocorra, se faz necessário o desenvolvimento de um programa de comunicação social com as comunidades impactadas pelo empreendimento, com objetivos específicos de esclarecer dúvidas, reduzir ansiedade e insegurança, garantindo a confiabilidade ao projeto.

Para tanto, usa-se as técnicas contemporâneas da comunicação, acompanhamento de desapropriações, implantação de canais de comunicação, mapeamento de lideranças, informes claros e concisos, identificação de problemas e soluções, constituição de conselhos consultivos.

Enfim, é necessário utilizar-se das melhores e mais eficazes ferramentas da comunicação social para garantir a execução de grandes obras em harmonia com as comunidades locais.

Lauro Jacintho Paes é engenheiro agrônomo e associado da Communità Comunicação Socioambiental.

Contato: lauro@communita.com.br / www.communita.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>